ESCOLIOSE E CURVATURAS ESPINHAIS

As curvaturas espinhais leves não afetam a vida cotidiana, mas os casos mais severos podem ser muito dolorosos. Lembre-se: você tem as opções suficientes para ajudar as suas costas a se recuperar e continuar fazendo as coisas que ama.

Todas as pessoas têm algum grau de curvatura na coluna. Algumas curvaturas no pescoço e das partes inferiores e superiores do torso são normais. Inclusive, precisamos destas curvaturas para ajudar a parte superior do corpo a se manter balanceada e alinhada com a pelve. Contudo, quando existem curvaturas anormais na coluna vertebral, nos referimos a elas como escoliose, cifose e hiperlordose - dependendo da direção da curvatura.

Escoliose

O que é escoliose?
A escoliose não é uma doença, mas um termo descritivo. Refere-se a uma curvatura lateral anormal na coluna vertebral. Quando vistas de trás, as vértebras de uma coluna saudável deveriam formar uma linha reta, mas nos pacientes de escoliose a coluna tem uma forma de "S" ou "C", ao invés de uma "I". Nos casos de escoliose podem ocorrer rotações adicionais.
O que causa a escoliose?
São muitas as causas da escoliose, incluindo deformidades congênitas da coluna (aquelas que se apresentam no nascimento, sejam herdadas ou causadas pelo ambiente), condições genéticas, problemas neuromusculares, longitudes desproporcionadas nas extremidades e osteoporose. A escoliose também pode se apresentar em adultos devido ao desgaste relacionado com a idade. Outras causas da escoliose incluem paralisia cerebral, espinha bífida, distrofia muscular, atrofia muscular espinhal e tumores. Contudo, mais de 80% dos casos de escoliose ocorrem por causas desconhecidas.
Tipos de escoliose
  • Escoliose degenerativa – este tipo de escoliose está associado à artrite e a degeneração da coluna vertebral. Geralmente, piora com o envelhecimento.
  • Escoliose congênita - Este tipo é definido como a curvatura na coluna vertebral resultante das malformações existentes nos elementos vertebrais. É incrível o fato da coluna vertebral e da espinha dorsal se formarem corretamente, dada complexidade do processo a partir de uma perspectiva embrionária. A maior parte deste desenvolvimento ocorre entre a terceira e sexta semana dentro do útero (depois da concepção). Apesar de existirem altas probabilidades de erro, as malformações congênitas são extremadamente raras.
  • Escoliose idiopática adolescente - Este tipo de escoliose é a mais comum na América do Norte, afetando aproximadamente 5.2% da população.1 Geralmente, observa-se durante ou depois da adolescência. Para que um médico possa diagnosticar e tratar a escoliose idiopática, este deverá primeiro descartar todas as outras causas de escoliose. A maioria das curvaturas idiopáticas presentes na adolescência não são dolorosas, são gradativas e apresentam uma curvatura típica (Exemplo: curvatura torácica para a direita), motivo pelo qual o exame neuronal resulta normal. A escoliose idiopática é mais comum nas mulheres.
  • Escoliose neuromuscular - Este termo é utilizado para descrever a curvatura da espinha dorsal em crianças que tenham qualquer outro transtorno do sistema nervoso. As categorias mais comuns incluem a paralisia cerebral, espinha bífida, distrofia muscular, lesões na medula espinhal, entre outras.
  • Como é diagnosticada a escoliose?
    Uma vez que há suspeita desta condição, a escoliose pode ser confirmada através de um exame de diagnóstico como os raios x, radiografia espinhal, tomografia computadorizada ou mediante ressonância magnética. A curva é medida e são determinados seus graus. Geralmente, a curvatura é considerada como significativa quando for maior do que 25 ou 30 graus. Considera-se que as curvas que ultrapassam 45 ou 50 graus são mais severas.
    Qual é o tratamento da escoliose?

    O tratamento para a escoliose depende da curvatura, a idade do paciente e de outros fatores. Caso precise corrigir a curvatura, a primeira opção geralmente é um aparelho. A maioria da curvatura presente na escoliose não progride ao ponto de precisar de cirurgia. Contudo, algumas pessoas apresentam casos bem severos de escoliose, tanto que precisam de cirurgia. Graças aos avanços nas tecnologias, a fusão espinhal é muito mais fácil de tratar, motivo pelo qual você poderá ter a liberdade de realizar suas atividades regulares.

    A fusão espinhal é a cirurgia mais comum para corrigir a escoliose severa. Geralmente, usa-se para corrigir a curvatura na coluna maior do que 45 graus, ou para curvaturas na coluna que não responderam bem aos aparelhos. Existem duas grandes funções da cirurgia por escoliose: parar a piora da curvatura e corrigir as deformidades espinhais.

    Cifose

    O que é cifose?
    A cifose (uma curvatura espinhal para frente ou "costas corcundas”) é normal na coluna torácica (superior). Também pode ocorrer na coluna cervical e na espinha lombar. Geralmente, quando um médico mede a referida curvatura através do raios x, a variação normal de cifose é bastante ampla, entre 20 e 50 graus. Contudo, quando a cifose é maior do que 50 graus esta é muito fácil de notar visualmente e, portanto, é considerada anormal. A cifose apresenta-se mais comumente em mulheres de idade avançada, como resultado da osteoporose.
    O que causa a cifose?
    A cifose ocorre quando as vértebras na coluna dorsal adquirem forma de cunha. Esta deformidade pode ser causada por várias condições, incluindo transtornos degenerativos relacionados com a idade, tais como a osteoporose, fraturas na coluna e doença degenerativa do disco, entre outras.
    Outros tipos de cifose
  • Cifose de Scheueremann - Este tipo de cifose é mais comum nos adolescentes do sexo masculino. Caracteriza-se por ser uma cifose curta e aguda na parte média ou média-superior da coluna, e pode se associar a certas dores nas costas. A cifose tende a ser rígida (não flexível) quando examinada. É comum encontrar um grau leve de escoliose entre os adolescentes com cifose de Scheueremann.
  • Costas redondas - Este tipo de cifose é caracterizado por uma cifose lisa e flexível que não é tipicamente associada à dor. Esta curvatura é facilmente corrigida pedindo ao jovem que fique de pé de forma reta. Estas curvaturas tendem a ser pouco severas e se estendem em maior número de segmentos vertebrais, em comparação com a cifose de Scheueremann.
  • Quais são os sintomas da cifose?
    Além de causar uma corcunda nas costas, a cifose pode causar dor nas costas e/ou rigidez e, nos casos mais severos, pode afetar os pulmões, nervos ou outros órgãos. Contudo, os casos leves podem causar sintomas ou sinais não visíveis.
    Como é  diagnosticada a cifose?
    Normalmente, a cifose é diagnosticada através de exames físicos e de raios x. Se precisar de mais detalhes, seu médico poderá recomendar fazer uma tomografia computadorizada. Em alguns casos, seu médico poderá solicitar a realização de um exame através de ressonância magnética na sua coluna, caso suspeite de alguma causa subjacente, tais como um tumor ou alguma infecção que possa ocasionar a referida curvatura.
    Como é tratada a cifose?

    As decisões em relação ao tratamento de cifose são baseadas na causa da curvatura, o grau de deformidade, o risco de progressão durante e depois do crescimento (em crianças e adolescentes), e a severidade dos sintomas associados com a cifose.

    As opções de tratamento para a cifose incluem a observação, medicamentos, aparelhos ou cirurgia. Geralmente, a cifose menor do que 50 graus não precisa de tratamento. A cifose entre 50 e 70 graus, onde exista um crescimento significativo ou dores nas costas, poderia ser tratada utilizando aparelhos.

    Quando a cifose é causada por uma fratura por compressão vertebral por osteoporose ou câncer, o tratamento mais comum é um procedimento minimamente invasivo chamado cifoplastia. As cirurgias, tais como a fusão espinhal, são reservadas para curvaturas maiores do que 75 graus, onde possa existir perigo de progressão gradativa depois do crescimento, ou na idade adulta, quando se apresenta perda de massa óssea. Os tratamentos cirúrgicos consistem tanto na correção da deformidade através de instrumentos espinhais e a fusão da porção afetada da coluna, para prevenir a progressão posterior.

    Hiperlordose

    O que é hiperlordose?
    A hiperlordose (também conhecida como "costas afundadas") refere-se a uma curvatura exagerada para dentro na coluna lombar (exatamente encima dos glúteos).
    O que causa a hiperlordose?
    A hiperlordose pode ser causada por acondroplasia (causa comum do nanismo), espondilostese, lordose juvenil benigna (a qual não é significativa a partir do ponto de vista médico) e osteoporose, entre outras condições.
    Quais são os sintomas?
    A hiperlordose tende a fazer que os glúteos fiquem mais realçados. Em pessoas com hiperlordose significativa, pode-se notar um espaço considerável visível na parte baixa das costas ao deitar em uma superfície sólida. Outros sintomas incluem dor e moléstias nas costas, assim como dificuldade para se mover de certo modo.
    Como é diagnosticada a hiperlordose?
    Caso suspeitar de hiperlordose, a curvatura deverá ser examinada para ver se é flexível ou rígida. Se a curvatura parece ser rígida (não flexível), o médico poderia solicitar exames de raios x para determinar o diagnóstico.
    Qual é o tratamento da hiperlordose?
    Se a curvatura lordótica for flexível, geralmente não são necessários tratamentos, já que a lordose não continuará progredindo ou causando problemas. Em alguns casos, especialmente se a curvatura for rígida, a curvatura poderia precisar do uso de aparelhos nas costas ou cirurgia nas costas, tais como a fusão espinhal.

    Acessos Rápidos 

    Autoavaliação
    Autoavaliação
    Comunidade
    Comunidade
    Diário de Dor
    Diário de Dor
    Guia de Discussão
    Guia de Discussão
    Histórias de Pacientes
    Histórias de Pacientes
    Médico correto?
    Médico correto?